Bem-estar e autocuidado: Uma relação nem sempre natural




“O acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído”

Essa é uma das frases mais inteligentes e instigantes que já ouvi. Foi escrita por Sérgio Brito e eternizada na gravação da música “Epitáfio” dos Titãs.

Parece confusa, mas o sentido é o seguinte: Enquanto eu andar distraído, isto é, sem qualquer objetivo ou pretensão para com a vida, só poderei contar com a proteção e ajuda do acaso.

O questionamento é: para onde estamos levando nossa vida? E a pergunta faz muito sentido porque, qual proteção existe no acaso? Por qual razão alguém terceirizaria sua vida e valores, deixando-as ao encargo do acaso que, nem tem intenção, nem objetivo, nem relação?

A “arte de viver” não pode ser entregue ao acaso.

Mas é assim que muitos lidam com esse assunto. E uma das formas mais comuns é não olhar para dentro; não conhecer nossos valores e aspirações, ainda que sejam eles os responsáveis pelo direcionamento e prazer da vida.

Parafraseando o poeta Galeano, “valores e aspirações são como a linha do horizonte. Se dou dez passos, ela avança dez passos. Se caminho mil passos, ela avança mil passos. Então, se é assim, para que servem os valores e as aspirações? Para isso mesmo: nos fazer caminhar”.

Viver é uma arte. Por isso é preciso intenção. Não me refiro a um planejamento rígido e detalhado sobre como viver com sucesso, ter uma carreira meteórica, etc. Falo do essencial; da paixão por viver.

Direcionamentos importantes tais como: “Viver de acordo com quem sou” e, “Comprometer-me com a vida que desejo viver e que me dará maior contentamento”, não é o mesmo que viver obcecado pelo prazer. É viver com coerência pessoal. Esse é o aspecto mais brilhante da Arte de viver.

Para onde se dirige meu olhar?

Todos praticamos o autocuidado. Sentimos dor de cabeça e logo buscamos resolver. Se persiste, procuramos ajuda médica. Ao sentirmos o mal-estar da indigestão, resolvemos com igual presteza. E também nos cuidamos de forma preventiva, através de alimentação equilibrada, planejando beber mais água, fazendo exercícios regularmente, etc. Tudo isso com o sagrado objetivo de cuidar da saúde. Entretanto - sem querer explicar o óbvio e cair no lugar comum - temos esquecido de cuidar do nosso interior com igual clareza com que cuidamos do exterior.

Se estamos tristes ou com raiva, essas emoções estão nos comunicando algo, exatamente como acontece com a dor de cabeça. Contudo, ao invés de lermos a mensagem da alma, fugimos dela porque nossa civilização perdeu o hábito de olhar para dentro. Tememos o olhar interno por medo de sofrer ainda mais. Por isso, há tanta gente perdida.

Livrando-nos do acaso e cuidando da vida que desejamos ter

Todos temos ideais de vida. Novamente, não me refiro ao dinheiro abundante, conforto ou sucesso, que são bons, mas continuam acessórios. Falo sobre viver de verdade. Aquela sensação de realização que, mesmo sem sucesso, faz tudo valer muito.

Viver, portanto, não é uma questão de sorte ou acaso. Não negamos a incidência do acaso que às vezes faz tudo dar certo. Todavia, não podemos viver de coincidências.

Precisamos cuidar da vida que desejamos viver. E a primeira grande ação é compreender quais são nossos valores pessoais, porque eles formam a linha do horizonte que nos dirige aos ideais de satisfação para com a vida.

Aconselho você a considerar a seguintes áreas, na construção da vida que deseja viver com satisfação: Relacionamentos familiares, relacionamentos sociais e relacionamentos íntimos (amorosos). Educação, treinamento, emprego e carreira. Hobbies e recreação. Serviço voluntário, caridade e atividades políticas. Atividades físicas e Hábitos de saúde. Espiritualidade, questões psicológicas e/ou emocionais.

Há toda uma dinâmica psicoterapêutica em torno dessas áreas de valores. Cada dia a psicologia percebe o potencial positivo que o ser humano tem, para viver de forma significativa e satisfatória.

Neste caminho, Kelly Wilson e Tobias Lundgren desenvolveram uma metodologia psicoterapêutica interessante, para a compreensão e vivência desses valores. Vale você se informar sobre o assunto. A vida de muita gente tem melhorado ao sabor da Psicologia Positiva e da terapia de Aceitação e Compromisso.

Olhe mais para você mesmo. Apesar de o ambiente nos influenciar muito, a vida começa de dentro para fora; nas respostas que oferecemos a nós mesmos e ao mundo, em relação aos estímulos lançados sobre nós.

Cuide primeiro do que é precioso.

Domingos Alves

28 visualizações

Receba conteúdos transformadores!

  • YouTube
  • Instagram
  • Linkedin

Domingos Alves | Clínica de Psicologia | Todos os direitos reservados.

© 2020 Webdesign by Jansen Fávero gsite.business

  • YouTube
  • Instagram
  • Linkedin