Crises. Um modo eficaz de lidar com elas.



Segundo Moffat (1981) a crise caracteriza-se pela “Invasão de uma experiência de paralisação da continuidade do processo da vida”.

Literalmente a vida fica estagnada naquele mesmo lugar, produzindo sintomas na relação: esfriamento sexual, sensação de mágoa, tristeza, inadequação e desejo por desistência.

O grande problema é que durante momentos de crise, os casais tendem a conversar sobre conteúdos e nunca sobre processos pelos quais estão atravessando, de modo a unir forças.

Assim entram em um espiral de argumentações que não chega a lugar nenhum. Não conseguem perceber para onde estão caminhando, de tão ocupados em argumentar.

O lado bom da crise

Mas nem tudo é cinza durante esse difícil período de crises. Especialmente se o casal tiver condições de olhar a si mesmo e conseguir enxergar o caminho para onde suas atitudes estão lhes conduzindo.

Um caminho para essa descoberta é observar as repetições. Que figura é essa que aparece em cada discussão, repetitivamente? É a desconfiança? É a mágoa? É o sentimento de posse?

Somente com esse olhar como quem está observando de fora é que podemos enxergar a porta de saída.

Crises acontecem porque não estamos presos em uma redoma de vidro capaz de parar o tempo. A vida segue. E por isso precisamos sempre “atualizar” nossa relação.

Se estamos atravessando uma, o melhor a fazer é aceitar o fato e cooperar para encontrar a saída, uma vez que elas não podem ser evitadas.

Crises podem ser benéficas, quando o casal junta suas forças na busca da superação. Então, há crescimento e amadurecimento psíquico.

Não perca tempo durante a crise. Utilize-a como motivação para os ajustes.

Com afeto,

Domingos Alves (CRP 11/10730)

9 visualizações

Receba conteúdos transformadores!

  • YouTube
  • Instagram
  • Linkedin

Domingos Alves | Clínica de Psicologia | Todos os direitos reservados.

© 2020 Webdesign by Jansen Fávero gsite.business

  • YouTube
  • Instagram
  • Linkedin